A Entidade - Adunesp

13º salário dos estatutários: Reitoria pode e deve pagar já! Adunesp indica assembleias de base para impulsionar mobilização

Dezembro terminou sem que os servidores docentes e técnico-administrativos estatutários da Unesp – cerca de 12.700 trabalhadores – recebessem o seu 13º salário.
O último comunicado emitido pela Reitoria, em 21/12/2018, limitou-se a informar que não havia nenhuma “novidade” sobre o assunto, ou seja, o governador cessante Márcio França não havia atendido ao pedido de suplementação de verbas feito pela Universidade. Ainda segundo o comunicado, caso o crédito suplementar extra-limite não se concretizasse, seria convocada uma reunião extraordinária do Conselho Universitário na segunda quinzena de janeiro de 2019, “com o propósito de discutir e de revisar o orçamento de 2019, à luz da necessidade do pagamento do 13º salário referente ao ano de 2018 para os servidores autárquicos”.
Em reunião com a Adunesp e o Sintunesp no dia 12/12/2018, véspera do ato convocado pelo Fórum das Seis durante realização do CO, conforme noticiado imediatamente nas redes da Adunesp, o reitor Sandro Valentiniadmitiu que a Universidade tinha reservas em valores “quase suficientes” para arcar com o pagamento do 13º salário dos estatutários, mas que o seu uso deixaria o caixa descoberto em 2019.
Chegado o mês de janeiro, NADA impede que a Reitoria faça o imediato pagamento do 13º salário aos seus estatutários ad referendum de decisão do CO.
Relegar a definição do pagamento para uma reunião extraordinária do CO, sem data definida, obviamente significa um claro menosprezo para com a vida de dezenas de milhares de pessoas. A despeito das dificuldades financeiras, as contas diversas da instituição seguem em dia e nenhum fornecedor deixou de receber.
Postergar a quitação desse direito dos servidores – fevereiro, março...? – é reiterar uma clara opção política da atual administração: bancar a instituição com recursos obtidos por meio do arrocho salarial – os 3% da data-base de 2016 continuam em aberto –, do congelamento das carreiras e das contratações, no confisco de direitos.
O não recebimento do 13º salário na data prevista trouxe constrangimentos pessoais, dívidas não pagas, juros sobre juros, novos endividamentos... mas nada disso parece sensibilizar a direção da Universidade, afinal, alguns recebem bolsas e têm como se defender desta situação, ao contrário da imensa maioria dos servidores estatutários.

Assembleias de base e Plenária Estadual
No dia 13/12/2018, o Fórum das Seis realizou um belo ato em frente à Reitoria da Unesp, por ocasião da reunião do Conselho Universitário. Caravanas de vários campi da Unesp compareceram, sendo apoiadas por representações da USP, Unicamp e Centro Paula Souza.
Agora, temos que ampliar essa mobilização.
A Adunesp orienta suas subseções sindicais e representantes de base a realizarem assembleias de base até o dia 14/1 para debater a seguinte pauta:
- Mobilização pelo pagamento do 13º salário, com avaliação da possibilidade de greve da categoria;
- Indicação de delegados ao 38º Congresso do Andes – Sindicato Nacional (28/1 a 2/2/2019, em Belém/PA). Sobre esse ponto, leia mais no box específico.

Os indicativos das assembleias de base serão avaliados em Plenária Estadual da Adunesp, agendada para 15/1, em São Paulo, às 10 horas, com a mesma pauta das assembleias de base.


Leia também no Boletim AdunespviaNet nº 155, de 7/1/2019:
- A luta por mais recursos e a opção política da Reitoria
- Ações judiciais pelo 13º
- 38º Congresso do Andes SN

Clique aqui e acesse o boletim

  Adunesp     Adunesp  
Site Desenvolvido por InfoPlus